domingo, 27 de abril de 2014

Cartas para Paula ( Texto I )

25 de Novembro, 2012

Paula, preciso escrever pra lhe contar essas coisas, você sabe que eu sou péssima falando sobre e coisas que penso e que sinto sem parecer que estou recontando algo da minha cabeça como quem narra um filme visto de fora com excesso de opinião e pouco realismo, eu tento ser franca quase sempre, tento...
Enfim eu preciso lhe escrever de um tempo atras em que eu senti algo que moveu meu mundo inteiro de lugar e foi devastador e completo, e eu gosto muito de você, gosto muito mais do que gostaria de admitir mas um dia eu prometi que seria sincera ao menos nas palavras que eu escrevo, eu tenho esperança no dia em que alguém me despertará do pesadelo que me colocaram depois de sentir aquilo tudo e não. eu definitivamente não gostaria de estar ao seu lado "por enquanto" enquanto eu não encontro aquilo ou alguém qe me desperta, eu não suportaria ver seu coração como uma tela que se mantém inteira mesmo estilhaçada.
Você também consegue ver o quanto o tempo e o modo são responsáveis pelo jogo de acasos que é tudo o que sentimos e tudo o que é colocado na nossa vida como peças em tabuleiros?
Sabe, talvez eu não tenha despertado, não porque não achei quem me desperte, talvez você me despertaria em outro tempo, em outro espaço menos vazio do que o que eu não consigo externar de alguma forma, eu não sei explicar...
Não estou tentando ser romântica e você sabe o quanto eu me esforço pra não ser, nem quando eu digo que eu nunca conheci uma alma como a sua, e talvez poucas almas eu vi tão de perto, mas se você tem duvida sobre alguma coisa,  essa é uma das quais você não pode ter eu vi a sua alma, poucas coisas eu poderia dizer que foram indispensáveis na minha vida, mas isso foi.

Indispensável e incomparável, mas vai levar um tempo até você digerir as coisas que eu digo, eu sei.

Mas o que eu queria dizer é que ver a sua alma me assusta, porque eu sei que você vê a minha e sabe quão frustante eu sou.
Talvez eu seja egoísta, apenas, gosto de pensar que eu penso adiante e mesmo as nossas peças sendo apresentadas no tempo errado no tabuleiro estaremos na linha de chegada juntas, enquanto eu ver você e você me ver do lado de dentro.

 Até a próxima contagem de estrelas.
RNT.

Um comentário:

  1. Olá.

    Gosto da maneira como você narra as coisas... parece que é tudo num fôlego só... um rompante de palavras que tentam traduzir a intensidade com que as idéias brotam... e eu sei bem como por vezes, as palavras parecem tão ineficazes e desajeitas pra descrever alguma coisa.
    Fico na espera das próximas cartas.

    Boa tarde.

    Morpheus

    ResponderExcluir