quarta-feira, 5 de março de 2014

Oceano raso.

"- Porque ele não chega junto?
- Não sei, acho que ele pensa que eu sou rasa"

Ou talvez a visão dele sobre mim é que é rasa, quem sabe ele se acostumou com a ideia de esperar algo de alguém dentro daquilo que ele acha que tem qualidade ou merece um alto conceito, ele espera demais e no fim a idealização dele esteja além e não deixa ele ver como as coisas realmente são e se eu não me pareço com a ideia daquilo, ele me veja "rasa".
Eu não espero nada disso, eu não espero impressionar, eu sou de verificar onde eu piso, pra quem sabe poder deixar de parecer lago e mostrar meu oceano.
 Parece que ele quer algo mais impactante e surpreendente, pra quebrar os impactos que ele já viveu e os oceanos que ele já conheceu, e não vê que no fundo se limitou a isso, querer algo que parece com outra coisa e a esperar algo que choque mais que o anterior sem pensar que está procurando pela mesma sensação em pessoas diferentes, e no final está fazendo tudo igual pra encontrar as mesmas coisas, que ele não sabe ainda que nunca vai acontecer da mesma forma, as diferentes formas é que são atraentes por distinguirem-se, abrir a mente pro novo não te faz gostar menos do velho, só te dá a sensação maravilhosa de que o encanto se renova e pode ter suporte em diversas coisas que você desconhece e que vai ver que valerá a pena conhecer, se você tiver preso a uma unica sensação, você nunca vai conhecer as outras.
É importante se lembrar de se apaixonar por pessoas, e não pela ideia de estar apaixonado. Pessoas são diferentes sempre tem algo a aprender e a ensinar. Você tem seu próprio oceano e vive dele, nele pra ele, falando dele, esperando mais água porque é imenso mas ainda sim quer transbordar, acho bonito. Quando minha alma era menos habitada eu queria isso, ainda bem que você a mantem jovem. E eu receio, receio dos corpos, dos naufrágios, dos piratas que escondem tesouros dentro de mim e dos que outros roubam e violam, eu receio secar e receio afogar quem vem visitar, eu receio transbordar...Eu receio, então eu guardo o oceano e o comprimo dentro do meu lago.

Não podemos salvar ninguém.
Só as nossas experiencias nos salvam e é sempre um desperdício o salvamento de quem não sabe que está se afogando.(mesmo que em si mesmo)
Eu sempre fui inteira, nunca fui metade de alguém, a experiencia me ensinou que se jogar de cara tem um preço alto, pode ser uma queda livre nas pedras ou água gelada nos penetrando os pulmões.
 Eu aparecerei num laguinho assim o mais transparente que posso, mantendo as águas estáveis e quentes na simplicidade de não dizer o que não precisa ser dito se você não for ficar por mais do que um café e um cigarro ou uma noite, eu descobri que nem todos conseguem nadar em oceanos sem se afogarem e que eu não quero restos mortais dentro de mim, não mais.
Eu não o escondo, eu o preservo.
Vou abrindo meu mar aos poucos...

Se ele não é persistente ou curioso o suficiente e não demonstra muita vontade de saber o que tem além do raso que eu mostro, é porque não está pronto pra saber da existência do meu oceano, e talvez nunca estará, porque o depois é terra onde ninguém pisa, eu desconheço e ele desconhece...

"- Porque ele não chega junto?
- Não sei, acho que ele pensa que eu sou rasa... Talvez seja melhor assim."


Nota:
"Eu sou o raso, o largo, o profundo."
Raul Seixas

Um comentário:

  1. Olá. Muitas pessoas só enxergam a superfície ou não estão preparadas para mergulhar e descobrir o que há sob a superfície. Se não estão dispostas à este exercício de exploração, não merecem ver nada além do agito das águas. Parabéns pelo texto introspectivo e de muita profundidade... e deixo aqui um trecho de uma música que veio à minha mente:

    "feche a porta, esqueça o barulho
    feche os olhos, tome ar: é hora do mergulho

    eu sou moço, seu moço, e o poço não é tão fundo
    super-homem não supera a superfície
    nós mortais viemos do fundo
    eu sou velho, meu velho, tão velho quanto o mundo".

    Procure esta música... ela é do Engenheiros... se chama "Hora do mergulho"... talvez você goste.

    Boa tarde.

    Morpheus

    ResponderExcluir