quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Desabafo. ( Parte I, O Antes)


Acordei melancolica essa manha, pensando nas palavras de uma estranha que me parecia tão familiar que em outra época poderia jurar que era eu mesma.
"Tenho fases como a lua."
 Ontem eu queria cuidar da minha saúde, física e mental hoje, vendo a alma por um cigarro e por um amigo sincero pra beber num bar e me confessar.
Hoje cheguei a conclusão clara de que nunca amei ninguém, nunca ninguém fora capaz de acelerar meus batimentos , me embriagar de desejo ou superar o que eu já esperava.
E tantos, tantos me angustiaram e fizeram minhas mãos soarem, com a ansiedade (...) e ninguém foi realmente capaz de me tirar o sono e arrebatar o coração.
E eu... Eu que criei tantas paixões... e nenhum deles foi pra mim o que eu fui pra todos eles,
e eu aqui fazendo pose de mulher que teve o coração partido tantas...tantas... vezes que nada mais a satisfaz a não ser dilacerar outros corações em troca de mais uma ilusão ansiosa, suor e vaidade.
Essa manha, tomei consciência de que meu coração fora realmente partido, pela unica pessoa que podia te-lo feito, e melhor do que ninguém. O fez.
Eu.


Um texto que escrevi em um 2008 qualquer.

Um comentário:

  1. Olá.

    Belo texto... gostei dele.
    Sabe, li uma coisa nele que me fez pensar em quantas vezes a gente inventa para nós mesmos Amores platônicos e paixões avassaladoras... e pra que??? Por que???
    Talvez... pra sentir alguma coisa.

    Parabéns pelo texto... um verdadeiro desabafo da alma... tenho alguns desabafos, mas acho que não postei nenhum... rsrsrs.

    Boa tarde e não se esqueça de dar uma olhada no meu blog... tem um convite pra você lá.

    Boa tarde.

    ;D

    ResponderExcluir