terça-feira, 1 de março de 2011

Lover to Lover!


 Eu conheço você, conheço você se dobrando nos joelhos pra trás desenfreando a sua guitarra imaginando daquele palco estar em outro lugar e sendo quem você é, conheço você dizendo que vai tomar whisky  e me aparecer num pé sujo com cerveja, Eu conheço você tirando a camisa suado no palco, olhando pra mim de soslaio.
Eu conheço você censurando minhas histórias e analisando meu vestido enquanto subo a escada na sua frente, eu conheço você criticando o meu cabelo, franzindo o lábio e me despindo peça por peça com os olhos num lugar lotado, eu conheço você negando tudo o que está afirmando aos berros pra mim nos seus olhos. Eu conheço possesso de ciumes pelos meus olhares aos que não estão vivos mais.  Eu conheço você me machucando pra se proteger, do que?
Eu conheço você.

 Eu conheço você se divertindo secretamente com coisas que sabe sobre as pessoas e a maneira como elas agem diferente do que pensam, conheço você se vendo patético quando tenta ser cinico comigo, eu conheço você sabotando suas próprias ideias por medo de sucesso, conheço você pensando em "saída" quando eu falo de outros casos que já tive e os que ainda vou ter, conheço suas mãos pequenas firmes nas minhas pernas, e os sons que você faz quando está em cima de mim, conheço você longe de casa improvisando fogo por entre as minhas pernas. Eu conheço você se abrindo e desabando e ainda sendo um dos homens mais fortes que já tive diante de mim. Conheço você.

 Conheço você deitado na cama pensando em fumar um cigarro, quando não fuma, sendo o "Number One Zero" de outra qualquer, que você ainda acha que vai querer por mais de uma noite, minha língua conhece cada traço de todas as tatuagens pelo seu corpo, eu ainda vejo você sentado no chão do meu apartamento entalado com o choro de anos e uma garrafa de vinho chileno do lado quando me diz que a vontade de que isso dê certo é proporcional a probabilidade que isso tem de dar errado. Eu conheço você aproveitando os belos cachos molhados pra parecer mais charmoso no espelho.
Conheço você me mandando ir embora enquanto implora por um abraço todas as vezes que sabe que a culpa disso tudo é sua.
E eu fico.
Fico porque conheço você. Conheço você deitando ao meu lado pra sentir a vibração que eu emito através das musicas que você escolhe. Conheço você me olhando tomar banho por de trás da porta entreaberta e guardando os meus segredos contra todas as possibilidades em que você podia se gabar de me conhecer tão bem e me defendendo quando meus ouvidos não acalçam o ciume e nem as ofensas que você rebate como se proferidas a você mesmo e por vezes denunciando o que de grande em nós de acordo deveria ser omitido, e transparece a verdade que não nos cabe.

 Eu conheço a sua mão em punho fechado por outro lado da linha enquanto eu grito com você, eu conheço a sua magoa quando eu ajo como se meus problemas fossem maiores que os seus, e a minha quando eu encho uma conversa com os meus problemas esperando que você se abra pelo menos um pouquinho pra mim, o que parece impossível pra você as vezes, mas só as vezes... Conheço a gente se negando com os olhos fixados, e os ciganos em nós implorando por mais uma noite quando a nossa razão nos permite o controle e o riso de nossos sussurros secretos.
Conheço você fugindo do jeito como eu te envolvo quase que sem opção e te sufoco quando você desperta e me afasta achando que posso estar confundindo tudo quando na verdade a confusão é toda sua e mesmo que eu esteja a causando, eu sei o que estou fazendo com você, e você não sabe o que faz com você mesmo, eu te digo: Eu estarei aqui quando de pé armada até os dentes com as costas nas suas defendo a sua retaguarda e estarei aqui de olhos nos olhos e braços dados com sua cabeça no meu ventre onde você volta a ser Bentinho e eu sua amiga vizinha que nunca irá a lugar algum. Não corra!
Sabendo que você vai correr sempre que me sentir invadindo o seu espaço, você ainda não entendeu.
Não há espaço.
 Nunca haverá a brecha entre eu e você.
Porque eu não li você, eu não sei você e eu não conheço você.
Eu sou você.


Notas: Come Together: Aos Beatles que proporcionaram que eu e ele tivéssemos uma musica marcante mesmo no primeiro olhar na primeira conversa de horas quando não sabíamos do futuro a dois anos atras, e a visão dele no bar sentado no canto sozinho com a minha solidão em pé a porta com um copo, e o espaço que nunca mais existiu entre nós depois dali, e que depois se seguiu a tocar todas as vezes em que estamos juntos em espírito ou num corpo só, gêmeos.

Come Together - Beatles
Lover to Lover - Florence and The Machine.